domingo, 21 de junho de 2009

----------

Surdo, o absurdo
Que descalço destaco nesta folha
Sujo é o distúrbio
Da pressa inerte opressora

Das folhas amarelas, quero a vermelha
Da orla contida do desejo
Na raposa quero a pele
Para andar com o estado preso

Com a torre rasgo as nuvens.
Que apareça Deus!
Com o metal faço chover
para dar liberdade aos plebeus.

Agora me despeço
do ignorante leitor,
que um dia vai comer
o grande trovador.

2 comentários:

Gisele Krama disse...

Antropofagia - comem-se homens e ideias.
Faça com que o abominável permaneça, pois não haverá razão para ser mais humano.

o Cheff disse...

Jacons é vc?
é o Alberto aqui.
Estou te seguindo e adorando a maneira selvagem que tu anda colocando idéias nestas "folhas" digitais.
Um abraço.